BTS: Governo sul-coreano discute emendas que podem levar à isenção do serviço militar do grupo

bts serviço militar

No dia 8 de setembro [BRT], a Associação de Conteúdo Musical Coreana (KMCA) anunciou que espera aprovar algumas emendas à Lei do Serviço Militar proposta pelo Deputado Yoon Sang-hyun, o que também inclui a possibilidade de isenção do serviço militar para o BTS. A reunião do subcomitê da Comissão de Defesa Nacional para discussão das emendas será realizada no dia 9 de setembro [KST].

As propostas discutidas foram enviadas no dia 25 de junho pelo Deputado Yoon Sang-hyun e se referem a aprovação de algumas emendas à Lei do Serviço Militar ao que se diz respeito de artistas e atletas com impacto significativo na cultura do país. Assim, seguindo esta lógica, pode-se incluir a análise da possibilidade de isenção do serviço militar para o BTS.

O BTS possivelmente se enquadraria na decisão, não somente pelo o legado cultural que está deixando no mundo, com a sua contribuição massiva para a onda Hallyu, mas também precisa-se levar em conta o impacto econômico que o grupo traz para a Coreia do Sul. Em 2019 estimava-se que o BTS sozinho movimentava, direta e indiretamente, US$ 3,7 bilhões (cerca de 19,4 bilhões de reais) ao ano na economia do país. Com o crescimento desenfreado do grupo, esses números só aumentam, assim tendo grande impacto no PIB do país.



Recentemente, em 20 de julho o BTS foi nomeado “Enviado Presidencial Especial para as Gerações Futuras e Cultura” pelo presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in. Assim, o grupo representará o país em diversas assembleias e fóruns globais, incluindo a 75ª Assembleia Geral da ONU, marcada para 14 de setembro.

Ainda assim, a Comissão de Defesa Nacional disse em um relatório que é difícil definir padrões objetivos para a incorporação das emendas. Isso se deve à falta de confiança do público em geral e de indicadores representativos, como no caso dos atletas que há as Olimpíadas e competições, e que é um tanto quanto inadequado, pois é possível que expanda novos campos para cantores e b-boys (dançarinos de breakdance).

Em resposta, Choi Kwang-ho, secretário-geral da KMCA, disse:

“No caso da arte pura, é questionável se é uma confiança pública e representativa dos benefícios do serviço militar, mesmo que ganhe uma competição realizada por uma empresa jornalística nacional”.

Choi Kwang-ho ainda acrescentou:

“B-boy”, que pode ser visto recentemente como uma cultura popular, será adotado como evento oficial nos Jogos Asiáticos de Hangzhou do próximo ano e receberá benefícios do serviço militar devido à grande possibilidade de ganhar medalhas. Mas penso que isso é uma discriminação reversa. Finalmente, os esportistas também continuam as suas atividades separadas com fins lucrativos através de anúncios publicitários e programas de entretenimento após a competição. Além disso, se tiver um bom desempenho, o seu destaque pode aumentar, ganhar mais lucros do que os artistas culturais populares, e fazer uso da sua especialidade. Mas ele poderá dizer que a situação é diferente porque é um atleta, não uma celebridade?”.

E ainda se opôs ao relatório da Comissão de Defesa Nacional:

“Um total de 1804 pessoas foram incorporadas desde a introdução do sistema de benefícios do serviço militar em 1973. Espero que pense seriamente se a contribuição de sete membros do BTS não atingiu esse nível, em comparação com as 1804 pessoas que promoveram o prestígio nacional.”

 

 

 

Fonte: (1) (2)
Website | + posts

Gabriela Sales, 24 anos. Pernambucana. Mãe de gato. Tecnóloga em Gestão Marketing e bacharelanda em Arquitetura e Urbanismo. Amante dos livros. A paixão pela sétima arte desencadeou a profunda admiração pela cultura asiática e acredita que uma vez que se embarca nessa jornada de desbravar tudo o que o oriente tem para oferecer, não há mais volta. De qualquer forma, a intenção nunca foi voltar.

Comentários