Líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, convoca conferência para fortalecer governo do partido ‘monolítico’

Coreia Norte partido monolítico

Em 7 de julho de 2022, o líder norte coreano, Kim Jong Un, convocou uma conferência sem precedentes com o objetivo de fortalecer o poder “monolítico” do Partido dos Trabalhadores da Coreia (PTC) em toda a sociedade, informou a mídia estatal do país.

A conferência foi a primeira de seu tipo e envolveu “realizar a consolidação organizacional e ideológica das fileiras do Partido em todos os sentidos” e reforçar o papel de liderança do partido, disse a agência de notícias estatal KCNA.

Segundo a Reuters, o evento concentrou-se nas seções “Party Life Guidance” (PLG), que são organizações poderosas que monitoram e policiam a lealdade de funcionários e membros em todo o país.

De acordo com um relatório de 2019 do Comitê para os Direitos Humanos na Coreia do Norte (HRNK), com sede nos EUA, a orientação da vida partidária é “indiscutivelmente a função mais crítica” do PTC, que é o partido fundador e governante da Coreia do Norte.

Como parte do poderoso Departamento de Organização e Orientação, a PLG monitora tendências e padrões de comportamento individual, particularmente aqueles que podem prejudicar os interesses do líder supremo, disse o relatório da HRNK.

Suas técnicas incluem sessões regulares de autocrítica, onde os participantes são obrigados a confessar seus erros e enfrentar acusações de outros membros. Também é responsável por transmitir as orientações dos líderes seniores e desempenha um papel na seleção de quais candidatos podem concorrer nas eleições.



Em comentários à conferência, Kim chamou a orientação da vida partidária de um “vaso sanguíneo e glândula nervosa” que liga firmemente as organizações do partido ao comitê central e o eixo principal da implementação de ideias e políticas do partido, informou a KCNA.

Kim tem realizado cada vez mais eventos com o objetivo de fortalecer o controle no país, que ele governa desde 2011. Especialistas dizem que os esforços anti-pandemia ajudaram ainda mais seu governo autoritário a impor novos controles sobre a economia, viagens, mídia e outros elementos da sociedade.

De acordo com investigadores de direitos humanos, a Coreia do Norte realizou execuções extrajudiciais, desaparecimentos forçados, tortura, prisões arbitrárias, violência sexual e trabalho forçado. O governo negou ter maltratado seus cidadãos.

A Coreia do Norte está enfrentando várias crises, incluindo seu primeiro surto reconhecido de COVID-19, os efeitos econômicos de sanções internacionais e eventos climáticos erráticos, como altas temperaturas e inundações.

Ele disse que tem a situação do COVID-19 sob controle, embora a falta de dados tenha levado especialistas internacionais a duvidar das alegações.

Kim Jong Un partido monolítico

Fonte e fotos: Reuters 
+ posts

Comentários