#RAPTIME: Conheça o grupo de hip-hop palestino DAM

dam

DAM é um grupo de hip-hop palestino com sede em Lod, Israel. O grupo DAM foi fundado em 1999 pelos irmãos Tamer e Suhell Nafar e seu amigo Mahmoud Jreri. Suas canções são em grande parte sobre racismo e pobreza e é o primeiro grupo de hip-hop palestino e uma das primeiros a fazer rap em árabe.

DAM faz rap principalmente em árabe, mas também em inglês e hebraico. O DAM lançou mais de 100 singles e três álbuns – Dedication, Dabke on the Moon e Ben Haana Wa Maana – bem como um EP – Street Poetry.

dam
(Da esquerda para a direita: Dj Bruno Cruz, Maysa Daw, Tamer Nafar e Mahmoud Jreri.)

 

As letras do DAM são em grande parte voltadas para o protesto, e suas canções giram em torno da luta contra a opressão, ocupação israelense, racismo, pobreza, drogas e pelos direitos das mulheres.

O nome do grupo é o verbo árabe para “durar para sempre / eternidade”  e a palavra hebraica para “sangue“, mas também pode ser um acrônimo para “Da Arabian MCs“. A palavra árabe para “sangue” é escrita de forma semelhante também.

Os integrantes do DAM começaram a trabalhar juntos no final dos anos 1990. Impressionados com a semelhança incrível da realidade das ruas em um vídeo do Tupac com as ruas de seu próprio bairro em Lyd, Tamer Nafar, Suhell Nafar e Mahmood Jrere foram inspirados a contar suas histórias através do hip-hop. Mais tarde, em 2015, Maysa Daw se juntou oficialmente ao grupo e eles lançaram seu primeiro single juntos, “Who You Are”.



O som do DAM é inconfundível. A música deles é uma fusão única de oriente e ocidente, combinando rap árabe feroz com ritmos árabes, sons e melodias do Oriente Médio e hip-hop urbano agitado e profundo. Martin Vennard, do BBC World Service, descreveu a música do DAM como “a música mais divertida, original e socialmente engajada do Oriente Médio”

Em 2017, o DAM assinou contrato com a Cooking Vinyl após um show de sucesso no Palestine Music Expo, e começou a trabalhar no 3º álbum da banda, “BEN HAANA WA MAANA”. O álbum foi lançado publicamente em junho de 2019. O primeiro single do álbum, Emta Njawzak Yamma (Quando você vai se casar?), que enfrenta a pressão social do casamento, atingiu 1,6 milhão de visualizações no Youtube em apenas 6 meses.

Eles são conhecidos por falar sobre tópicos e tabus contundentes. Desta vez, eles o levaram a um nível e abordagem musical diferente.

“Sabemos que passamos por tempos difíceis. Sempre conversamos sobre a escuridão em que vivemos.” Disse Nafar. “Mas desta vez mudamos de atitude. Como dizemos em uma de nossas canções “Hada Yidi’e Sitna”; Esta não é a escuridão de um túmulo, estamos na escuridão de um útero.”

O álbum em si é, em última análise, “sobre o amor próprio”. É mais rico e provocativo do que qualquer informativo. É muito musical, protestante, mas você ainda pode se divertir ao mesmo tempo.

“Você pode dançar ao som dos tambores da revolução”.

Veja alguns videoclipes:



Documentário “Slingshot Hip Hop”

‘Slingshot Hip Hop’ é um documentário de longa-metragem dirigido por Jackie Reem Salloum que estreou no Festival de Cinema de Sundance de 2008. O filme documenta o nascimento da cena Hip Hop palestina e traça a história e o desenvolvimento do hip hop nos territórios palestinos desde o tempo em que o DAM foi o pioneiro dessa forma de arte no final dos anos 1990. Ele conta as histórias de jovens artistas palestinos que vivem em Gaza, na Cisjordânia e dentro de Israel enquanto descobrem o hip hop, e o emprega como uma ferramenta para superar as divisões impostas pela ocupação e pela pobreza. De barreiras internas e paredes de separação a normas de gênero e diferenças geracionais, esta é a história de jovens que transcendem as fronteiras que os separam.

dam

O filme estreou no Festival de Cinema de Sundance de 2008. Mais tarde foi exibido no Canal de Sundance, e ganhou mais de 13 prêmios. Foi exibido em festivais de cinema em todo o mundo, incluindo Festival Internacional de Documentários de Amsterdã, ND / NF, Festival Internacional de Cinema de Estocolmo, Sensoria Music & Film Festival, Festival de Música Bonnaroo, DOX BOX Síria, Festival Internacional de Cinema de Dubai, Beirute Internacional Festival de Cinema, Festival de Cinema de Boston Palestina.

Em agosto de 2008, ‘Slingshot Hip Hop’ foi mostrado a jovens palestinos em três campos de refugiados palestinos do Líbano; Shatila, Bourj al-Barajneh e Beddawi.



Ficha Técnica:

País: PALESTINA / EUA
Ano: 2008
Duração: 83 min
Idioma: Árabe, Inglês e Hebraico | Legendas disponíveis em inglês, espanhol, francês em DVD via slingshothiphop.com/dvd
Apresentando: DAM, Abeer Alzinaty, Arapeyat, PR, Mahmoud Shalabi, We7 e Ibrahim
Diretor / Produtor / Editor: Jacqueline Reem Salloum
Produtor: Rumzi Araj
Produtor / Editor / Supervisor de efeitos visuais: Waleed Zaiter

*O documentário pode ser assistido com legendas em inglês em: SLINGSHOT HIP HOP na conta de Fresh Booza Productions no Vimeo.

dam

Acompanhe o DAM nas redes sociais:

Site oficial
Twitter
Instagram
Facebook
Youtube

 


Nota da Autora (NA):

Conheci o DAM recentemente e as músicas potentes e melódicas em contraste com a voz doce, mas forte, da Maysa me deixaram encantada. A história do grupo também é muito impactante e todos deveriam conhecê-los.

O DAM carrega não só uma longa história na música, mas também fizeram e fazem parte do crescimento do hip-hop em seu país. Suas letras cheias de críticas sociais mostram um lado da Palestina e de Israel que precisa ser visto pelo resto do mundo.

Fiquei aqui querendo uma collab deles com meu grupo favorito de hip-hop que é, sem dúvidas, o Racionais MCs. Imagina que demais seria?

E você, o que achou do DAM? Conta pra mim nos comentários abaixo!!

 

 

 

Fontes: (1) (2) (3) | Fotos: Divulgação | Instagram Oficial do grupo
Website | + posts

Tenho 27 anos, moro em São Paulo e sou designer gráfico e estudante de ciências sociais. Sou apaixonada por música, livros, séries, viagens e amo comida asiática! Você pode saber mais sobre mim em: https://www.behance.net/daniele-almeida 🙂

Comentários