Xiaomi, da China, ultrapassa a Apple no mercado global de smartphones

xiaomi apple

A fabricante chinesa de smartphones, Xiaomi, foi a segunda maior fabricante de smartphones no segundo trimestre, ultrapassando a Apple, de acordo com a analista Canalys.

A Xiaomi teve uma participação de 17% nas vendas globais de smartphones, à frente dos 14% da Apple e atrás dos 19% da sul-coreana Samsung.

“A Xiaomi está crescendo seus negócios no exterior rapidamente”, disse o gerente de pesquisa da Canalys, Ben Stanton, em um comunicado à imprensa, observando que as remessas aumentaram 300% ano a ano na América Latina e 50% na Europa Ocidental.

A fabricante chinesa de smartphones registrou um crescimento anual de vendas de smartphones de 83% contra 15% para a Samsung e 1% para a Apple.



Stanton observou que telefones da Xiaomi estão voltados para o mercado de massa, com preço médio de seus aparelhos 75% mais baratos que da Apple.

Mas a empresa sediada em Pequim agora está procurando entrar no mercado de alta tecnologia. Então, no início deste ano, ela lançou o Mi 11 Ultra, um smartphone premium que custa a partir de 5.999 yuans (US$ 928). Ela também lançou o Mi Mix Fold de 9.999 yuans , seu primeiro telefone dobrável .

Essa faixa de preço coloca a Xiaomi contra a Apple e a Samsung no segmento premium. Seus rivais domésticos Oppo e Vivo também estão tentando entrar no mercado de alta tecnologia.

“Será uma batalha difícil, com Oppo e Vivo compartilhando o mesmo objetivo, e ambos dispostos a gastar muito em marketing acima da linha para construir suas marcas de uma forma que a Xiaomi não está”, disse Stanton.
“Todos os fornecedores estão lutando arduamente para garantir o fornecimento de componentes em meio à escassez global, mas a Xiaomi já tem os olhos postos no próximo prêmio: substituir a Samsung para se tornar o maior fornecedor do mundo.”
* As estimativas preliminares estão sujeitas a alterações na divulgação final. | Gráfico: Canalys

 

A Xiaomi se beneficiou das lutas da Huawei. A Huawei já foi a maior empresa de smartphones do mundo, mas as sanções dos EUA cortaram a empresa chinesa de suprimentos essenciais, incluindo software e chips, fazendo com que suas vendas despencassem .

Embora os smartphones ainda respondam pela maior parte da receita da Xiaomi, a empresa está procurando entrar em novas áreas. Em março, a empresa de tecnologia anunciou planos para lançar um negócio de veículos elétricos e investir US$ 10 bilhões nos próximos 10 anos.

 

 

 

Fontes:  (1) (2) | Foto: Xiaomi

Was this helpful?

Website | + posts

Tenho 27 anos, moro em São Paulo e sou designer gráfico e estudante de ciências sociais. Sou apaixonada por música, livros, séries, viagens e amo comida asiática! Você pode saber mais sobre mim em: https://www.behance.net/daniele-almeida 🙂

Comentários

Siga-nos

Newsletter

Categorias

Facebook

Quizzes

Quizzes

Siga-nos

Newsletter

Categorias

Facebook

Twitter